segunda-feira, 6 de junho de 2016

Por que o Brasil está abrindo a Caixa de Pandora?

                Dentro do sistema político de relações sórdidas entre os setores público e privado, todos os países do mundo possuem uma Caixa de Pandora. Como na mitologia grega, a Caixa é um jarro onde estão depositados todos os males que podem existir. Na história contemporânea, estes males estão representados pela corrupção, mentiras, quadrilhas, conchavos e tantos outros. Não seria difícil demonstrar que sociedades na maioria dos países são vítimas de todos estes males em maior ou menor grau.

                No entanto, estas mesmas sociedades têm receio de que a abertura da Caixa de Pandora possa trazer desarranjos econômicos e sociais. E, elas estão certas! É exatamente o que isto acontece quando a Caixa de Pandora de um país é aberta. Talvez, isto explique porque raramente uma sociedade está disposta a abrir o jarro. Até porque a história nos ensina que o jarro geralmente é aberto durante revoluções ou guerras civis. Ou seja, a desordem socioeconômica pode ser completa. Raramente, abre-se o jarro seguindo a ordem legal e democrática.

                Não precisamos ir muito longe para descobrir que estes males estão presentes em sistemas mais autoritários e nos mais democráticos. O que acontece no sistema político chinês não é muito diferente do que acontece no sistema político estadunidense. Isto mesmo que tentemos relativizar algumas das suas práticas nefastas. Ou seja, tentar dizer que em um país estas práticas são mais frequentes do que em outro.

                O movimento que foi às ruas em 2013, o Ministério Público, nosso sistema judiciário e a própria deterioração das chamadas “coalizões governamentais” proporcionaram as condições ideais para que a Caixa começasse a se abrir. E, parece que não tem mais volta. Se o Brasil conseguir ir até o fim, assimilar as consequências socioeconômicas desta decisão e não deixar que haja ruptura institucional, estaremos estabelecendo um novo parâmetro de renovação democrática quase sem precedentes na história.

                Não devemos nos preocupar com que o mundo está pensando sobre o Brasil ou se o Brasil deixou de ser um país “atrativo” para novos investimentos. Segundo a mitologia, após a saída de todos os males da famosa Caixa de Pandora, somente fica a “esperança”. Esta nunca morre e nos renovará.